Comunicado, de 16 de abril de 2010

Uma das características que mais chamam a atenção no Agility é o clima de confraternização que se estabelece a cada prova. Velhos conhecidos se reencontram e novas amizades surgem. Adversários se ajudam e torcem por boas apresentações. Um evento social, muito mais que uma competição.

Ainda assim, algumas regras precisam ser instituidas para estabelecer critérios e padronizar a conduta de todos os participantes que trazem consigo diferentes formações, valores e experiências.

O Agility é regulado por dois desses códigos – o CÓDIGO DE ÉTICA E DISCIPLINA CINÓFILOS editado pela CBKC e o CÓDIGO DE ÉTICA E DISCIPLINA DO AGILITY NACIONAL, de responsabilidade da CBA que complementa e reforça o primeiro.

Dentre as tantas normas, duas merecem destaque:

– a que estabelece o dever pelo zêlo à boa higiene no recinto;
– a que estabelece o cuidado para que o cão não agrida outros cães ou qualquer participante.

Creio que haja consenso quanto à validade destas regras que de tão elementares, por vezes são negligenciadas. Não é preciso mais que um pouco de atenção para evitar acidentes.

As obrigações com nossos animais vão além de garantir-lhes bem-estar e passa por responsabilizar-se pelas consequências de suas companhias. Dessa forma, manteremos saudável a convivência de toda a “comunidade agilitista”.

Guilherme Trevisani
Ética e Disciplina

Receba nossas novidades